Engevix estuda mix eólico-solar na Bahia

21.02.2014 (Jorna da Energia)
Objetivo da empresa é viabilizar uma usina fotovoltaica de 30MW
Com dois meses de operação, fator de capacidade é de 24%
Com dois meses de operação, a Engenvix está satisfeita com excelente desempenho apresentado por seu projeto-piloto fotovoltaico na Bahia. "Identificamos um fator de capacidade de 24%, enquanto que o normal é 19%, 20%", disse Alessandro Carraro, diretor Comercial da Engenvix, em entrevista nesta quinta-feira (20/2).
 
A usina, instalada junto ao complexo eólico de Brotas de Macaúbas, da Desenvix, teve sua implantação concluída em 15 de dezembro. Os recursos para o projeto vieram do fundo de P&D da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Os valores não foram revelados.
 
Segundo a Engevix, um dos objetivos finais da pesquisa é avaliar a complementaridade entre a geração de energia solar e eólica, de modo a otimizar o uso do sistema de transmissão já existente no parque eólico. Carraro esclarece que pelo fato da produção eólica ocorrer em maior volume durante a noite, há uma expectativa de poder compartilhar o mesmo sistema de transmissão dos parques durante o dia para o escoamento da produção solar.
 
Em um período de dois anos, cinco tecnologias fotovoltaicas serão avaliadas: silício monocristalino, silício multicristalino, filmes finos de silício amorfo hidrogenado, filmes finos de silício microamorfo e filmes finos de disseleneto de cobre, gálio e índio. Roberto Stadler, coordenador do projeto, explica que o objetivo é identificar qual delas traz a melhor relação técnico-financeira para usinas solares de grande porte no semiárido brasileiro.
 
“Eles vão analisar diariamente os dados desses cinco sistemas e correlacioná-los aos dados da estação solarimétrica, observando qual apresenta o melhor custo-benefício para a região semiárida brasileira levando-se em conta as características climáticas da região e o porte dos futuros empreendimentos solares”, detalha Stadler . A pesquisa está sendo conduzida por professores da Universidade Federal de Santa Catarina.
 
O projeto conta com 71 painéis solares, além de uma estação solarimétrica. A estação será um requisito básico para a habilitação nos próximos leilões de energia da Aneel para o mercado cativo, beneficiando a Desenvix em futuros empreendimentos solares.
 
A Desenvix, braço de investimentos em geração de energia da Engenvix, pretende instalar futuramente a UFV Brotas de Macaúbas, com capacidade instalada de 30MW e que já conta com a outorga da Aneel.
 
A Desenvix opera 15 empreendimentos de geração, com capacidade instalada própria de 349 MW, além de participação de 25,5% em duas linhas de transmissão com 517 Km de extensão. A companhia possui atualmente um portfólio de projetos que soma 3.168 MW de potência instalada. (Jornal da Energia 21/02)
home features revista

REVISTA CIER

Confira todas edições da Revista CIER
"Sem fronteiras para a energia"
 Agenda

AGENDA ENERGÉTICA

Desafios e oportunidades na América
Latina e no Caribe
 

 

Strategy

SÍNTESE INFORMATIVA

Informações do setor energético
no Brasil e na América Latina
 Strategy

NOTÍCIAS

Acompanhe as últimas notícias 
do setor energético
 

 

Ideas

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Leia as edições anteriores