Três anos após Fukushima, Japão voltou a priorizar energia nuclear.

27.02.2014 (Valor Econômico)
O Japão divulgou ontem a versão preliminar da primeira revisão de sua política energética feita desde o acidente na usina nuclear de Fukushima, acontecido há quase três anos. No documento, o governo afirma que a energia nuclear continua sendo uma importante fonte de eletricidade para o país.

A minuta do plano, apresentada para apreciação do Gabinete Nacional e com aprovação esperada para março, afirma que a dependência nuclear do Japão será reduzida ao máximo possível, mas que os reatores que atendem os novos padrões de segurança estabelecidos após a crise nuclear de 2011 serão religados.

O Japão possui 48 reatores comerciais, mas todos estão desligados e assim permanecerão enquanto não cumprirem as novas exigências de segurança.

O rascunho do Plano Básico de Energia diz que uma combinação de energia nuclear, energias renováveis e combustíveis fósseis será a fonte mais confiável e estável de eletricidade para atender às necessidades energéticas do Japão. Ele não especifica a proporção exata, citando fatores de incerteza como o número de reatores a serem religados e o ritmo do desenvolvimento das energias renováveis.

O governo pretendia divulgar o esboço em janeiro, mas uma recomendação apresentada por uma comissão de especialistas afirmou que o plano favorecia demais a energia nuclear. O rascunho apresentado ontem dá uma ênfase ligeiramente maior às energias renováveis. (Valor Econômico, 26/02)

home features revista

REVISTA CIER

Confira todas edições da Revista CIER
"Sem fronteiras para a energia"
 Agenda

AGENDA ENERGÉTICA

Desafios e oportunidades na América
Latina e no Caribe
 

 

Strategy

SÍNTESE INFORMATIVA

Informações do setor energético
no Brasil e na América Latina
 Strategy

NOTÍCIAS

Acompanhe as últimas notícias 
do setor energético
 

 

Ideas

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Leia as edições anteriores