Com o frio, Argentina importa mais energia de países vizinhos

Ontem se importou energia elétrica do Chile, Brasil, Bolívia, Uruguai e Paraguai simultaneamente. Nestes dias de temperaturas mais baixas, o país depende muito das importações. No caso do gás, as compras no exterior representam cerca de um terço do consumo nacional, enquanto que a eletricidade ao redor de 8%.

“O Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) nos comunicou que entregaram 5 milhões de metros cúbicos a menos de gás por dia com relação ao que está acordado em contrato em decorrência da incrementação da demanda do Brasil, que tem prioridade sobre o contrato com a ArgentinaIsso somado ao 'atraso na chegada dos barcos de GNL aos portos por más condições climáticas', levaram ao comitê de emergência do ente regulador ENARGAS a solicitar às indústrias o início da redução do consumo até que se chegue ao corte total de seus consumos”, segundo comunicou o Ministério de Energia.

importacao argentina clarin

(CLARÍN, 09/06/2016)

Tradução livre BRACIER

Tags: gás, integração energética, Brasil, Argentina, GNL, YPFB, importação de energia, Clarin,

home features revista

REVISTA CIER

Confira todas edições da Revista CIER
"Sem fronteiras para a energia"
 Agenda

AGENDA ENERGÉTICA

Desafios e oportunidades na América
Latina e no Caribe
 

 

Strategy

SÍNTESE INFORMATIVA

Informações do setor energético
no Brasil e na América Latina
 Strategy

NOTÍCIAS

Acompanhe as últimas notícias 
do setor energético
 

 

Ideas

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Leia as edições anteriores